quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Valkyrie (2008)

Hitler's Germany has seen its last sunrise.

Valkyrie é um filme que aborda um importante evento na Alemanha Nazi: a tentativa de assassinato ao ditador alemão Adolf Hitler, no conhecido dia 20 de Julho de 1944. E conta com um grande elenco, liderado por Tom Cruise. A aquisição deste último foi uma grande controvérsia, principalmente para os alemães, devido à religião do actor. Problemas pessoais e religiosos à parte, Valkyrie consegue trazer algo inovador, um thriller de suspense com uma lição de História por trás, numa época em que os efeitos especiais e os argumentos sem substância imperam em Hollywood.

Coronel-Conde Claus Schenk Graf von Stauffenberg (Tom Cruise), um orgulhoso nacionalista militar alemão, é leal ao seu país, mas vê-se forçado a olhar para a ascensão de Adolf Hitler ao poder e para todos os seguintes eventos da Segunda Guerra Mundial. Stauffenberg observa que Hitler está a levar a Europa para o caos, começando a acreditar que é necessário travar o líder da Nacional-Socialista Alemã. Verificando que o tempo é cada vez mais escasso, Stauffenberg decide entrar em acção, e em 1942 junta-se secretamente à Resistência Alemã Anti-Hitler, para finalmente derrotarem o Fuhrer. Contudo, é em 1943, enquanto se recupera dos ferimentos sofridos no Norte de África, que Stauffenberg reúne forças e organiza uma conspiração anti-Hitler. Armado de uma astuta estratégia, a designada Operação Valquíria , ele planeia aniquilar o ditador na Toca do Lobo e exonerar do poder o regime Nazi. Stauffenberg avança com a Operação Valquíria a 20 de Julho de 1944, mas uma série de coincidências infelizes protege Hitler do atentado e automaticamente condena os seus autores à morte. Assim, a Operação Valquíria torna-se a famosa “tentativa falhada de Golpe de Estado levada a cabo por forças da Resistência Alemã, com o apoio de algumas altas patentes do Terceiro Reich”.

Filmes que abordam conspirações de assassinato a Adolf Hitler começam a ser abundantes, mas o bom de Valkyrie é que esta conspiração é de facto verídica, chegando mesmo a ser quase bem-sucedida. Por ser baseado numa história autêntica, o final do filme não me foi surpreendente e é de facto esperado, pelo menos para quem tenha algum conhecimento sobre a Segunda Guerra. Talvez a fama desta história e o conhecimento antecipado do seu final pode tornar o filme menos interessante, mas na minha opinião tal não aconteceu; deste modo, dou os parabéns ao realizador Bryan Singer, pois consegue manter o espectador cativado, devido à atmosfera intensa criada, e consegue manter o suspense até ao final, mesmo que já se saiba qual é. Tive um momento de *face palm* no final deste filme, quando uma amiga minha diz-me indignada “Mas então, o Hitler não ia morrer??". Foi um momento engraçado.
O filme está bem filmado e bem escrito, apesar de achar que falta alguma emoção: o filme peca no facto do argumento não ser convenientemente desenvolvido ao nível emocional, apesar do potencial. Falta uma construção narrativa com alicerces emocionais e mais criativos, que não se limite a contar a história, como se de um documentário se tratasse. A história real da Operação Valquíria é muito mais complexa do que a que é apresentada no filme, apresentando na perspectiva de Stauffenberg apenas a generalidade da conspiração. No entanto, o filme retrata bem o seu espírito e respeita os factos Históricos. Também acho que falta no filme a visão da Alemanha pretendida por Stauffenberg, caso a operação tivesse resultado.
O realizador poderia também ter optado por ter um filme falado em alemão, ou pelo menos ter mais cenas faladas nessa língua; o filme é todo falado em inglês e alguns dos actores são alemães ou polacos, o que faz com que haja muitos sotaques estranhos e tira um pouco a credibilidade ao filme. De facto, o filme começa em alemão, e preferia que continuasse assim. Sinceramente, ver Hitler a falar inglês é demais (!).

Há pontos altos neste filme: o elenco, o ambiente e o aspecto visual do filme.O elenco é liderado por Tom Cruise, que nos deu uma prestação bastante credível e que realmente cativa. Para além de Tom Cruise, também temos magníficas interpretações de um elenco secundário que o acompanha na perfeição. Devo realçar Bill Nighy e Tom Wilkinson, que interpretam o General Friedrich Olbricht e General Friedrich Fromm respectivamente. Contamos com a performance de Thomas Kretschmann como Major Otto Ernst Remer, e devo dizer que é quase obrigatório vermos este actor em filmes de Segunda Guerra Mundial. Uma boa mas curta interpretação foi a de David Bamber, como o imponente Adolf Hitler. Capta na perfeição alguns aspectos do ditador (outros nem tanto), e gostei de alguns detalhes, como por exemplo a demonstração de afecto que Hitler deu a um cão, mostrando com veracidade o “amor” que este tinha por animais. Um ponto negativo foi mesmo o ter falado inglês, como já disse anteriormente.
O ambiente do filme está impecável, o realizador conseguiu recriar mesmo o cenário da Segunda Guerra Mundial, para não falar da excelente fotografia do filme. Um outro ponto negativo é a duração/conteúdo. O filme tem aproximadamente 115 minutos, mas a acção do filme é desenrolada lentamente ao início, o que poderia ser diferente.

Em suma, Valkyrie constituiu um bom filme que, apesar de não ser uma obra de arte, poderia estar mais longe de o ser.

EXAME

Realização: 7/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 7/10
Fotografia: 8/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 7.5/10 

Crítica feita por Joana Queiroz

Informação

Título Original: Valkyrie
Título em Português: Valquíria
Ano: 2008
Realização: Bryan Singer
Actores: Tom Cruise, Bill Nighy, Carice van Houten, Tom Wilkinson, Thomas Kretschmann, David Bamber




Trailer do Filme:

3 comentários:

  1. Eu daria 8/10... achei o filme francamente bom - não genial, mas muito bom.
    Estava á espera de outro tipo de filme, mas acabou por ser uma surpresa agradavel para mim.
    Bjks

    ResponderEliminar
  2. Eu por acaso estava à espera do filme que seria, e não me desiludi nesse aspecto. O filme é de facto bom =)

    ResponderEliminar
  3. Joana, é das melhores criticas que escreveste desde que começámos esta nossa aventura, parabéns.

    Em relação ao filme, adorei, tudo, do ínicio ao fim, mas se fosse eu a escrever não daria muito mais pontos dos que o que tu deste, precisamente pelos pontos negativos que realças, nomeadamente o idioma do filme, que nos leva sempre para uma sensação de falta de credibilidade!

    ResponderEliminar