terça-feira, 23 de agosto de 2011

Das Boot - A Odisseia do Submarino 96 (1981)


"40 000 men were sent out on German U-boats... 30 000 never returned." 

O Nazismo vende. A Segunda Guerra Mundial também. E muito: é um tema inesgotável; seja pelo facto de nos fascinar e transcender, seja pelo facto de querermos entendê-lo. É também verdade que esta temática já rendeu bastante para o cinema,e já em 1981 isso aconteceu. Das Boot, em português A Odisseia do Submarino 96, tornou-se um sucesso instantâneo e hoje em dia é consagrado como obra-prima, um verdadeiro clássico de filmes sobre a Segunda Guerra Mundial.

1941. La Rochelle, na França ocupada. A 2ª Guerra Mundial está no auge. A jovem tripulação alemã dum submarino classe U tem a sua noite de despedida antes de se fazerem ao mar; bebem, dançam, divertem-se como se amanhã não existisse, pois sabem que dos 40.000 tripulantes alemães do submarinos, somente 10.000 regressarão vivos a casa. No mar, os primeiros dias são passados facilmente, mas após algum tempo naquele tubo de ferro, os homens tornam-se irascíveis e claustrofóbicos.

O filme foi escrito e realizado pelo cineasta alemão Wolfang Petersen (que em 2004 realizou o filme Tróia). A realização é soberba e inteligente: Petersen consegue narrar a história de jovens soldados, entusiasmados pela missão e atraídos pela propaganda nazi, que lentamente se vêm num ambiente claustrofóbico e suicida. Somos levados ao extremo com este filme, Wolfgang Petersen consegue transpôr para o grande ecrã a angústia e o desespero da tripulação, que lutam entre a vida e a morte numa cansativa claustrofobia no mar. Mostra-nos realmente a realidade da guerra. Existe um óptimo trabalho a nível de câmara, que consegue oferecer um ambiente espectacular.

Houve um trabalho imenso por parte do realizador, para tornar este filme perfeito a nível técnico. Primeiramente, Petersen preocupou-se com o rigor histórico. Seguidamente, teve a preocupação de filmar maioritariamente em cenários reais: filmar dentro de um submarino revelou ser um desafio para a cinematografia, mas valeu muito a pena. Outro aspecto bastante interessante foi o facto de Petersen ter tido o cuidado de filmar as cenas na ordem correcta, de modo a captar as mudanças físicas dos actores. O realizador leva o público por uma viagem incrível, viagem essa que nos mostra soldados a perderem a sua individualidade a cada dia que passa. O argumento está muito bem escrito, a missão é narrada de maneira pormenorizada. Poderão contar com todos os momentos: aborrecimento, esperança, angústia, medo, tensão, desespero. Neste filme existe uma análise de diversos temas, como o patriotismo e o heroísmo, como também a condição psicológica humana. 
Este filme não é meramente um filme sobre submarinos, mas sim um filme sobre o lado nazi da guerra. Talvez por ser o lado mais difícil de dissecar, torna-se no mais interessante. É daqueles filmes que re

almente tocam e mexem cá dentro. É intenso saber que toneladas de água pressionam o submarino, pressão essa análoga ao desespero dos soldados que, num lugar tão claustrofóbico, estão em constante alerta com a ameaça do inimigo que pode pôr término às suas vidas. O filme transborda de suspense, que cresce exponencialmente e tem uma cena final arrebatadora. O filme é longo, sim- vi uma versão de 200 minutos- mas vale o tempo.
A nível de cinematografia, este filme está muito bom, e tem umtrabalho de edição incrível. Tem uma magnífica fotografia e consegue proporcionar-nos um ambiente claustrofóbico e ao mesmo tempo um intencional “aborrecido”. A nível de performances por parte dos actores, só posso dizer bem. Todos são fantásticos, interpretando cada personagem muito bem. Destaco Jürgen Prochnow que interpreta o Capitão Henrich Lehmann-Willenbrock, está impressionante.
Das Boot tem todas as qualidades de um excelente filme de guerra, e a sensação de "meu deus, agora é o fim - oh não, a tensão continua!" é constante. Recomendo vivamente este grande clássico e obrigatório filme, que nos transmite com bastante veracidade o terror passado nos submarinos durante a guerra.


EXAME 

Realização:
9/10
Actores:
9/10
Argumento/Enredo: 9/10
Duração/Conteúdo:
8/10
Fotografia: 8/10 Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 8/10


Média Global: 8.5/10 

Crítica feita por Joana Queiroz


Informação


Título Original:
Das Boot
Título em Português:
A Odisseia do Submarino 96
Ano:
1981
Realização:
Wolfgang Petersen
Actores:
Jürgen Prochnow, Herbert Grönemeyer, Klaus Wennemann

Trailer do Filme:





VER TAMBÉM:


3 comentários:

  1. O Nazismo é um tema que me fascina porque, tal como tu dizes, parece que nunca o entendemos completamente. Queremos dissecá-lo para ver realmente a "origem" a ponto de não se repetir de novo.
    Este filme é fenomenal e o melhor de guerra! Parabéns pelo teu texto, e adorei o TOP da Segunda Guerra Mundial.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelo teu comentário! Sim, concordo completamente contigo =)

    ResponderEliminar
  3. É um grande filme que alavancou a carreira de Wolfgang Petersen com merecimento,

    É com certeza o melhor filme rodado dentro de um submarino. Extremamente claustrofóbico e tenso do início ao fim.

    Abraço

    ResponderEliminar