segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Identity (2003)

Há algo em thrillers psicológicos que desperta um interesse imenso em mim. Talvez seja devido à imprevisibilidade ou ao clima de tensão que gera, mas o certo é que Identity surpreendeu-me a todos os níveis. Bem sei que é difícil um filme ser bem sucedido em todos os elementos, mas Identity não só é intrigante, como é verdadeiramente fantástico e profundo. Folgo em saber que ainda existem filmes de suspense que realmente surpreendem. É uma grande surpresa, e adianto desde já que é dos melhores títulos deste género.

O filme é intrigante de início ao fim. Logo de início somos deparados com a seguinte situação: 10 pessoas ficam presas num motel isolado, que pertence a Larry (John Hawkes), devido a uma violenta tempestade. Entre eles estão um motorista (John Cusack), uma actriz (Rebecca De Mornay), um agente da polícia (Ray Liotta) encarregue de transportar um prisioneiro (Jake Busey), um casal (Clea DuVall e William Lee Scott), entre outros. No meio da confusão, tudo piora, quando se começam a aperceber que, um a um, todos estão sendo assassinados, sem qualquer explicação.

O argumento está muito bem arquitectado e somos inevitavelmente apanhados pelo factor surpresa; A narrativa gira em torno da questão "Mas quem é o assassino?!", e apesar de às vezes parecer que já sabia a resposta, rapidamente era contrariada por acontecimentos que não estava d
e facto à espera. O final é de se bater palmas, imensamente criativo e electrizante. Chocante mesmo, e até ligeiramente assustador. Sem dúvida que assistimos a uma excelente e segura realização por James Mangold, pois a maneira como estrutura o filme é deveras cativante e prende o espectador de maneira a se querer desesperadamente saber o que vai acontecer a seguir. Chega ao ponto de se tornar angustiante... Para mim, a obscuridade da trama é indiscutivelmente um factor atractivo. Não tenho dúvidas que o filme poderá causar diferentes reacções, especialmente relativamente ao final, que muita gente poderá não apreciar, ou até mesmo perceber. Mas sinceramente, defendo que as grandes qualidades do filme residem no argumento, aliás, este enredo é quase que inclassificável de tão interessante que é. Pode não ser propriamente inovador, pois é recheado de alguns clichés que já vimos antes, mas mesmo assim, consegue ter o seu toque pessoal que o tornam muitíssimo bom e único.

Relativamente ao elenco, não há absolutamente nada de negativo a apontar. Este tipo de filmes testa os actores ao máximo, e creio que John Cusack está no seu melhor. Se pensava que era em 1408 que Cusack demonstrava o seu verdadeiro potencial, estava enganada. Aqui proporciona-nos uma excelente e segura performance, do melhor mesmo!

Identity é um verdadeiro quebra-cabeças, e possui todos os ingredientes que fazem do filme dos melhores do género: é complexo, inteligente e intrigante, um verdadeiro desafio intelectual! Recomendo vivamente a assistirem ao filme caso não o tenham feito, é surpreendentemente satisfatório. E para quem já viu, rever não custa nada, pois é um filme que vale mesmo a pena!

EXAME

Realização: 9/10
Actores:
8/10
Argumento/Enredo:
9/10
Duração/Conteúdo:
8/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador:
7/10

Média Global: 8.2/10


Crítica feita por Sarah Queiroz


Informação

Título Original:
Identity
Título em Português:
Identidade Misteriosa
Ano:
2003
Realização: James Mangold
Actores:
John Cusack, Ray Liotta, Amanda Peet, John Hawkes, Alfred Molina

Trailer do Filme:

2 comentários:

  1. É um excelente filme. Nunca entendi como algumas pessoas não gostaram do mesmo. História original e bem executada com um elenco de luxo embora não de primeira linha na altura, e twist final delicioso.

    ResponderEliminar
  2. muito bom thriller com um bom elenco.

    http://onarradorsubjectivo.blogspot.com/

    ResponderEliminar