terça-feira, 27 de setembro de 2011

Grave Encounters (2011)

Grave Encounters parece ser mais um dos vários filmes ao género "mockumentary" (documentário falso), que ultimamente têm inundado o cinema. O primeiro grande sucesso deste subgénero foi Blair Witch (1999), mas foi com a recente saga Paranormal Activity que se sedimentou definitivamente este género. Porque, verdade seja dita, o estilo documentário que explora o sobrenatural é sem dúvida aterrorizante, especialmente porque atribui um carácter muito mais realista ao filme. O trailer de Grave Encounters chamou muito a minha atenção, mas mesmo assim receava que não se destacasse dos restantes. Adianto deste já que The Vicious Brothers conseguiram criar um filme muitíssimo assustador, que se destaca inegavelmente, sendo capaz de pôr REC ou Actividade Paranormal no cantinho. Posso-vos mesmo garantir, é um filme que amedronta a sério. Só que os realizadores, ao entusiasmarem-se demasiado, quase que sacrificavam o filme. Passo a explicar mais à frente...

O filme conta a história de uma equipa de um reality show (Grave Encounters) que caça fantasmas, que vai iniciar a rodagem do seu 6º episódio. Escolheram como local, um hospital psiquiátrico, que segundo muitas pessoas, é dos sítios mais assombrados da América do Norte. A equipa decide isolar-se no hospital, ficando 8 horas completamente trancados. Nesse tempo, irão iniciar a sua suposta caça, desconhecendo os perigos que aí vêm...

O argumento, embora envolto em alguns clichés, não deixa de ser assustador e apelativo. Especialmente da maneira como inicialmente se desenrola, e juntamente com o estilo de filmagem, criam uma expectativa enorme relativamente ao que se passará de seguida. O ambiente de tensão que se vai gradualmente construído é de perfeição e imensamente realista, só que, na minha opinião, os realizadores tomaram algumas más d
ecisões em relação ao rumo do filme, que fizeram com que deixasse de transparecer seriedade e realidade, para praticamente roçar o ridículo e falsidade. Digo isto assim para não ter que ser muito explícita, nem vos dar spoilers sobre o final. Esse sim, é alvo de muitíssimo debate. O facto do filme deixar muitas questões em aberto pode ser, por vezes, um aspecto positivo. No entanto, em Grave Encounters foi em demasia, e quando chegamos ao fim do filme, é inevitável ficarmos com um grande ponto de interrogação a martelar-nos a cabeça. Digamos que o final deixa um pouco a desejar. Quando virem o filme perceberão o porquê.
Como qualquer mockumentary, os actores do filme são geralmente desconhecidos. Mas isso não é sinónimo de menor qualidade, pois todos os actores estão muitíssimo bem, super espontâneos e naturais. Principalmente Sean Rogerson, que enquanto protagonista, carregou muito bem o filme às costas. 

Em suma, Grave Encounters possui todos os elementos para ser um filme óptimo. Muitos poderão chegar ao final do filme insatisfeitos, mas decerto que muitos outros irão gostar. Não posso deixar de recomendar, devido ao facto de que vale a pena para quem gosta deste tipo de filmes, e não tenham qualquer dúvidas que assusta a sério. Pessoalmente gostei, e se tivesse seguido um rumo diferente na última meia hora, era decerto o filme de terror do ano.
EXAME


Realização: 7/10
Actores: 7.5/10
Argumento/Enredo: 6/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10

Média Global: 6.9/10

Crítica feita por Sarah Queiroz


Informação

Título em português:
Título Original: Grave Encounters
Ano: 2011
Realização: The Vicious Brothers
Actores: Sean Rogerson, Merwin Mondesir , Ashleigh Gryzko, Mackenzie Gray, Juan Riedinger

Trailer do filme:

16 comentários:

  1. Se gostas do estilo mockumentary e handycam, experimenta ver Noroi (2005).

    ResponderEliminar
  2. Ouvi falar neste filme antes mas não interessou-me muito. Outro mockumentary que despertou minha curiosidade (e falam muito bem) é The Troll Hunter. Confesso que tenho ele aqui já há algum tempo mas ainda não pude assistir. :D

    ResponderEliminar
  3. @ FilmPuff: Obrigada pela sugestão, verei o filme! ^^

    @ Alexandre: The Troll Hunter é outro filme que está bastante bom, vou colocar a minha crítica em breve :) Aconselho mesmo a assistires ;)

    Obrigada pelos comentários!

    ResponderEliminar
  4. Baixei esse filme esses dias e, quando fui ver a imagem, acabei vendo o final sem querer. Mas isso só aumentou minha curiosidade. Provavelmente vejo ainda hoje.
    Abraços!

    ResponderEliminar
  5. Vale a pena ver Gabriel, depois passa cá e partilha a tua opinião ;)

    ResponderEliminar
  6. sou mais a bruxa de blair, depois que eu assisti o filme comprei uma motoserra

    ResponderEliminar
  7. Boa crítica, Sarah. Ótimo trabalho.
    Acabei de assistir o filme e confesso estar enérgico demais para conseguir, de imediato, encontrar meu sono.
    Recomendo.

    P.S. São 02:03 a.m., hahaha

    ResponderEliminar
  8. Obrigada Maicon ;) Sim, é daqueles filmes que nos impedem o sono imediato ahah :P

    ResponderEliminar
  9. Vi este filme sozinho em casa.
    Não gostei do filme e discordo quando dizes que foi muito medonho, ou mais assustador que REC e Paranormal Activity. Se falasses do Paranormal Activity 2 ainda concordava.
    Para mim, só os primeiros momentos de sustos é que tiveram efeito em mim, porque a partir daí foi sempre repetitivo, tanto que já nem pestanejava. Era como se já soubesse o que é que se ia mexer, quem ia ser atacado e de que maneira e isso tornou o filme enfadonho para mim. O efeito surpresa que era suposto fazer este filme, foi completamente eliminado!
    Concordo plenamente que chegou mesmo ao ridículo/parvo.
    Acho que o filme tinha muito potencial inicialmente, mas a falta de criatividade, a repetição e, para acabar, a parvoíce que imperou à medida que se aproximava do final, fez com que não gostasse nada deste filme.
    Concluindo, achei-o um filme mau, a parte inicial não o salva, não valendo o tempo perdido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. José, tenho o mesmo sentimento que você. Porém, estou tentando colocar toda explicação nos pontos negativos, na existência do Grave Encounters 2. Vou assisti-lo agora pra tentar achar uma lógica pra tantos "defeitos".

      Eliminar
  10. @ José: Pois, é fácil este filme deixar as pessoas insatisfeitas. É como dizes, tinha muito potencial inicialmente, mas perdeu-se um bocado depois da metade. Não gostei particularmente do rumo que a história tomou, porque sacrificou-o um bocado... Mas isso não invalida o filme na totalidade, porque os sustos são muito envolventes mesmo. Não podes negar que Grave Encounters tem a capacidade de deixar o espectador de olho na tela até ao final, por mais desapontante que depois se torne. Em relação a ser mais assustador (ou não) que Actividade Paranormal: Este filme tinha potencial para ser muito melhor do que Actividade Paranormal, isto porque sanatórios são ambientes excelentes pra filmes de terror... Pessoalmente assustou-me mais, que haverei de fazer? Nessa medida acho que é um filme que vale a pena para quem gosta de horror no estilo documental, mesmo que não seja o melhor do género.

    ResponderEliminar
  11. Por "acaso" uma vontade que me deu foi parar de ver o filme a meio, por o filme não estar a ficar estupidamente desinteressante, como já referi porque já não me. A única coisa que me pregou o olho à tela foi a esperança de que algo de melhor ia aparecer, mas foi em vão e um desperdício do meu tempo.
    Tinha potencial para ser melhor que Paranormal Activity? Sim, tinha e concordo que quando vi que se passava num Asilo para doentes mentais, fiquei empolgado, mas no final só não desenvolveu tal potencial como acabou por ser muito pior. Paranormal Activity ou REC não são a nata dos filmes de terror, mas para mim foram bem melhores que Grave Encounters, quando deveria ter sido ao contrário, daí a minha grande desilusão e quando digo que foi um grande desperdício de tempo.

    ResponderEliminar
  12. Alguém sabe quando é que vai lançar no Brasil? Se souber,envia no meu e-mail,e parabéns pela crítica Sarah,muito bem feita gata =D

    ResponderEliminar
  13. Acabei de ver o filme e são, 4.30 da manhã.
    O filme tem a sua originalidade desde já por ser o tema em si, "O espectador ser a câmara", não deixam de ter razão por ser um filme com muitas cenas repetitivas, mas o "Paranormal Activity 3" é a coisa mais triste que já vi, não tem história suficiente, é o típico filme de o amigo imaginário dos filhos ser o espírito que provoca aquela situação toda.
    Ao contrário, "Graves Encounters" tem uma enorme possibilidade de ser um dos melhores do ano, local perfeito para um filme de terror, história, e como disse da câmara sermos nós e ainda de, para mim que estive a ver isso com colunas de cinema, deu para sentir ou imaginar o que seria estar na situação deles.
    Chego ao ridículo de dizer que dei um salto quando a mesa foi contra a parede, fez cá uma barulheira e logo a seguir entra me um gajo pelo quarto a dentro XD ahahhahaha
    Gostava que criassem mais filmes deste tipo, porque os que à agora, são muito tristes...

    ResponderEliminar
  14. Bom vi o primeiro e não gostei muito ..acabei de assistir a continuação 2° .. e serio mesmo ..fugiu da realidade , ficou muito a desejar minha nota 2/10. abraços Diego Veiga

    ResponderEliminar