quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Don't Be Afraid of the Dark (2011)

Don't Be Afraid of The Dark teve como principal trunfo a figura do seu produtor e argumentista: Guilhermo Del Toro, nome sonante e prestigioso do cinema, responsável pelos sucessos Labirinto de Fauno e a saga Hellboy, é a principal razão da mediatização deste filme, e fez com que hipoteticamente se considerasse que fosse possuir os efeitos dos seus anteriores sucessos. Pelo menos é o que se esperava, isto porque Del Toro está sempre associado a grandes produções que envolvem verdadeiro terror, que costumam cair nas graças do público. Infelizmente, o filme realizado por Troy Nixey está muito aquém das expectativas, sendo completamente desprovido de originalidade, o que faz com que seja das desilusões mais marcantes do ano, independentemente do destaque dado à presença de Guilhermo Del Toro.

Casa assombrada, gritos, sombras, violência implícita, atmosfera agonizante. Todos estes elementos são a
queles que supostamente compõem um sólido e bem sucedido filme de terror. Só que este filme simplesmente não entrega o que promete. Sally (Bailee Madison), de nove anos, muda-se para uma mansão do século passado para viver com o seu pai (Guy Pierce) e sua namorada (Katie Holmes). Ao explorar o lugar, a criança depara-se com uma cave fechada que lhe desperta a atenção, e descobre que lá vivem certas criaturas que a querem para "brincar". Quando depois se apercebe das suas intenções malignas, Sally tenta alertar o pai e a madrasta para o facto de a casa estar assombrada. Mas nada os parece convencer de que ela fala a verdade... Don't Be Afraid of The Dark tinha um tremendo potencial, especialmente devido à cena inicial, que vos deixará intrigados com certeza. Infelizmente não se conseguiu manter esse nível de interesse, chegando em certos pontos a atingir o ridículo. Não estou a falar somente ao terem recorrido ao cliché da casa mal assombrada. Não é isso, não há mal a narrativa girar em torno disso. O facto é que neste filme não funciona, e em vez de nos assustar, acaba por gerar algumas risadas involuntárias. O grande problema reside mesmo nas criaturas em si: essas sim é que gerarão gargalhadas. O que supostamente devia ser o elemento ameaçador do filme, acaba por não sê-lo, o que provoca um certo desinteresse, pois não mete medo algum.

Mas há que mencionar os aspectos positivos; A fotografia do filme está muito boa e envolvente. A mansão antiga e o sótão assombrado provocam uma sensação de constrangimento e inquietude, que está bem caçada pelo realizador. Assenta muito na atmosfera que cria, não é propriamente assustador. É só pena que seja desperdiçado pelo roteiro em si, pois limita-se a criar expectativas que depoi
s não são concretizadas. O suspense criado podia ter sido muito mais explorado e intensificado. Existem, aliás, diversas cenas sem sentido, e perceberão o que estou a dizer quando virem o filme. São os chamados "plot holes", que neste existem bastante. O que arruína um bocado o filme é mesmo a existência destas falhas a nível de argumento, que descredibilizam o que tem vindo a acontecer até então.

No entanto, outro aspecto positivo assenta no elenco, ou melhor dizendo, em Bailee Madison, que é a verdadeira estrela do filme. A actriz interpreta a jovem Sally, e não poderia tê-lo feito de melhor maneira. É incrível a sua credibilidade, é quase que agonizante assistir às cenas, pois é mesmo visível o medo que a personagem está a sentir. Excelente trabalho por parte da jovem actriz, que decerto terá uma carreira promissora. Já em Just Go With It fez um trabalho fenomenal. Em relação ao elenco adulto, os elogios já não serão tão belos. Guy Pierce e Katie Holmes apenas cumprem o seu papel, mas não se destacam pela positiva. Até me senti um bocado enganada pelas suas performances, muito fracas em relação ao que estava à espera.

Para evitar me estender muito mais, vou concluir rapidamente. Don't Be Afraid of The Dark não é um filme que pessoalmente recomende. Acho que existem muito melhores do género e não vale mesmo a pena empregarem 5 euros para vê-lo. Só mesmo se for pela Bailee Madison e pela bela fotografia do filme, porque de resto... Substancialmente vale muito pouco.


EXAME


Realização: 5/10
Actores: 7/10
Argumento/Enredo: 5/10
Duração/Conteúdo: 5/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 5/10

Média Global: 5.4/10

Crítica feita por Sarah Queiroz

Informação

Título em português: Não tenhas Medo do Escuro
Título Original: Don't Be Afraid of The Dark
Ano: 2011
Realização: Troy Nixey
Actores: Katie Holmes, Guy Pierce, Bailee Madison

Trailer:

4 comentários:

  1. Boa crítica, concordo com tudo. Só tenho é uma coisa a dizer: don't be afraid of the dark, be afraid of this movie.

    ResponderEliminar
  2. Sarah,
    Concordo inteiramente com vc tb. Li dois blogs brasileiros falando maravilhas desse filme e relamente nao entendi nada. Tudo era muito previsto...
    Abs,

    ResponderEliminar