sábado, 9 de março de 2013

Mama (2013)


" A mother's love is forever"

Muita expectativa cercava o lançamento do novo filme produzido por Guillermo Del Toro, nome sonante e prestigioso do cinema, após "El Orfanato" (2007) e "Don't be Afraid of the Dark" (2010). "Mama", segue a história de Annabel (Jessica Chastain) e Lucas, que são confrontados com o desafio de criar as suas duas jovens sobrinhas que foram deixados sozinhas na floresta por 5 anos... Mas será que estavam realmente sozinhas? Este filme, cuja realização coube a Andrés Muschietti, foi o grande vencedor do Fantasporto 2013, arrecadando os prémios de Melhor Filme, Melhor Realização e Melhor Actriz para Jessica Chastain.
Num ano em que seremos bombardeados com remakes de filmes de terror, e em que parece acentuada a tal ideia de falta de originalidade que inunda Hollywood, terá "Mama" conseguido ressuscitar um género que vai parecendo adormecido? Embora não isento de falhas, parece-me que este filme é uma verdadeira lufada de ar fresco, sendo o primeiro grande filme de terror de 2013.

Costumo ser bastante optimista no que toca a filmes de terror, na esperança em que surja um que me consiga deixar seriamente desconfortável. Numa maré constante de remakes e reboots, o elemento surpresa tem sido praticamente nulo, mas "Mama" conseguiu cumprir a promessa de proporcionar o tal elemento inesperado, sendo bastante admirável a tentativa do realizador em contar uma história de terror 100% original. E cumpre-me também salientar, desde já, que Andrés Muschietti é, indiscutivelmente, um realizador de muito talento e visão. Mas não é só das "intenções" que um filme subsiste, isto é, por mais fantástico que seja a nível de construção e concepção, quando a execução do argumento falha, nem o potencial o salva. Felizmente, "Mama" conseguiu fugir a esse insanável erro, tendo, no entanto, por momentos, quase esse destino. Em termos de realização, é mesmo uma grande estreia para Muschietti, demonstrando muita segurança. Os elementos cinematográficos estão ao mais alto nível, em que não falha um ambiente sinistro, escuro, contrastante, o que evidencia o carácter criativo e original que o realizador conseguiu transparecer de uma maneira bastante inteligente, recriando completamente a ideia de "suspense". E isto durante o desenrolar todo da história, pois não nos deparamos com constantes clichés ou fórmulas recicladas em busca do susto, mas sim com sequências muito bem executadas e inesperadas, que conseguem arrecadar dos mais violentos sobressaltos.


O carácter super sinistro do filme pode ser praticamente atribuído às duas crianças que interpretam as sobrinhas, Megan Charpentier e Isabelle Nélisse, que fazem um trabalho absolutamente extraordinário em demonstrar a  capacidade do ser humano em adaptar-se a um meio externo e a sobreviver nessa mesma realidade. Jessica Chastain apresenta-se num registo bastante diferente a que estamos habituados, conseguindo, ainda assim, proporcionar uma prestação bastante autêntica e equilibrada.

Porém, podemos dizer que o argumento de "Mama" é "meio-cozinhado"... É até frustrante, uma vez que assenta numa grande mensagem (o enorme poder do instinto maternal), e em filmes de terror isso é sempre um aspecto de realce, mas depois perde-se através de decisões pouco acertadas. É questão de dizer que, infelizmente, o seguimento da história é francamente inferior em relação ao início. No entanto, é o único ponto negativo que consigo apontar em relação ao filme, o facto de ter algumas falhas a nível argumentativo. Vou confessar, igualmente, que fiquei um pouco desiludida em relação à figura da Mama, em si. Estava à espera de algo mais bem conseguido, acho que os efeitos especiais ficaram ligeiramente aquém. Isso não invalida que, até chegarmos a esse clímax, não tenhamos já apanhado uns valentes sustos, e a construção gradual até esse momento não desilude, como já tive oportunidade de referir.

"Mama" é, efectivamente, uma grande surpresa. O ponto mais positivo do filme é mesmo a genialidade do realizador, que conseguiu compensar alguma falta de originalidade na execução das cenas, coadjuvado com as magníficas prestações do elenco. Em suma, este filme tem todos os elementos necessários para ser um excelente filme, sendo, como disse logo no início, o primeiro grande filme de terror de 2013. Recomendadíssimo!

EXAME

Realização: 8/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 7/10
Duração/Conteúdo: 7.5/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 7/10

Média global: 7.6/10

Crítica feita por Sarah Queiroz


Informação

Título em português: Mamã
Título original: Mama
Ano: 2013
Realização: Andres Muschietti
Actores: Jessica Chastain, Nikolaj Coster-Waldau, Megan Charpentier

Trailer do filme:

2 comentários: