domingo, 16 de junho de 2013

Mestres da Ilusão (2013)



À imenso tempo que não me surpreendia tanto com um trailer como me surpreendi com o do "Now You See Me". As minhas primeiras impressões foram muito positivas, pois achei que me iria deparar com um filme bastante ousado e diferente. Mais uma vez acertei. Mas terá sido pelos bons motivos?

O que posso desde já adiantar, é que o filme não concretiza devidamente a fantástica premissa, rodeando-se de inúmeros obstáculos incontornáveis que quase levam o filme a alcançar o nível de mediocridade. O pouco conteúdo que "Now You See Me" tem, é exageradamente evidenciado, não sendo salvo pelas reviravoltas argumentativas ou até (curiosamente) por truques de magia. A ironia até é mesmo essa: o filme acaba por revelar-se uma grande (des) ilusão, pois apesar de começar espectacularmente bem, tornando-se inevitável criar-se algumas expectativas, tem um desenvolvimento fraco e um final anti-climático que nos leva a perguntar o porquê da última hora e meia ter sequer existido. Não me interpretem mal: o filme pode até ser "entertaining" e tem alguns aspectos positivos que acabarei por evidenciar, mas os aspectos negativos são demasiado gritantes. 

Sinopse (PUBLICO): Um grupo de quatro mágicos norte-americanos, liderados pelo carismático Michael Atlas, apresenta um espectáculo de magia nunca antes visto: primeiro surpreendem a audiência ao roubar, em tempo real, um banco em França e, em seguida, dividem os lucros pelas contas bancarias de cada um dos espectadores. Dylan Hobbs, agente do FBI, está determinado a puni-los pelos crimes e a detê-los antes que realizem o que promete ser um assalto de proporções absolutamente inesperadas. Com a agente Alma Vargas na sua equipa, Hobbs recorre a Thaddeus Bradley, célebre pela sua habilidade em desvendar os mais complexos truques de magia. Assim, enquanto a pressão aumenta e o mundo aguarda o grande e espectacular truque final, Dylan e Alma apressam-se para os deter. Porém, ambos estão conscientes que será difícil antecipar as suas jogadas e que, para os deter, apenas poderão confiar nos conselhos de Bradley e nos seus próprios instintos.


É frustante saber que tinha todos os elementos para ser bem sucedido, o potencial é inegável. Usar intrigas, magia e assaltos, são elementos dramáticos para criar um bom ambiente de suspense, e apesar de estar recheado deles, a execução foi péssima e o argumento sofrível, quicá ilusório. É perceptível que houve ambição no argumento, só que à medida que o filme se desenrola, parece que a imaginação dos argumentistas chegou ao zero. Não vou elaborar em profundidade para não estragar a "surpresa", mas digamos que a reviravolta que o final reserva é absolutamente ridículo, não fazendo qualquer sentido à luz de todo o enredo. Haverão de perceber o porquê.

Mas tudo tem a sua explicação; há efectivamente uma "raison d'être" para tamanha discrepância argumentativa. Acontece que Leterrier tem técnicas cinematográficas bastante particulares, em que a sua preocupação tornou-se, em demasia, ilustrar a verdadeira "magia", e não tanto em aprofundar o argumento ou até mesmo as personagens. Assim sendo, "Now You See Me", não é um filme propriamente profundo ou até mesmo substancial. Neste ponto nem sequer se compara ao filme de Christopher Nolan, "The Prestige". Mas nem tudo é negativo, porque apesar de considerar que o resultado obtido não foi o melhor, não consigo deixar de achar que estas falhas argumentativas poderão ter tido o seu grau de intencional. Talvez o realizador quisesse apenas cativar o público a níveis visuais e artísticos em detrimento de um bom argumento, o que, verdade seja dita, em alguns aspectos conseguiu ser bem sucedido. É inegável que o filme é um verdadeiro espectáculo visual, sempre pronto a impressionar o espectador, e por mais incoerências que tenha, há que dar mérito ao realizador por conseguir manter o ritmo frenético ao filme, e pelas tentativas de desafiar intelectualmente o espectador.


O grande trunfo do filme reside no seu elenco, em particular Jesse Eisenberg e Mark Ruffalo que conseguiram o impensável feito de credibilizar minimamente a narrativa. Tenho é que apresentar duas pequenas excepções: Isla Fisher e Mélanie Laurent. Não percebi bem qual foi concretamente o problema, se mau casting ou péssima escrita, mas o certo é que ambas não cumpriram nem sequer os requisitos necessários para desempenharem os seus papéis. A credibilidade foi uma qualidade que não lhes assistiu neste filme. 

Em suma, "Now You See Me" é um filme bastante rítmico e apelativo visualmente, que peca em total plenitude a nível da narrativa. Entretém, sem dúvida, mas será massacrado pelos mais exigentes; é salvo pelo seu elenco de enorme qualidade, e apesar de ter momentos engraçados, a sensação de saber a pouco irá ser inevitável, pela fraca exploração da narrativa.


EXAME

Realização: 5/10
Actores: 7/10
Argumento/Enredo: 4.5/10
Duração/Conteúdo: 6/10
Efeitos/Fotografia: 7.5/10
Transmissão da principal ideia do filme para o espectador: 5/10

Média global: 5.8/10

Crítica feita por Sarah Queiroz


Informação

Título original: Now You See Me
Título português: Mestres da Ilusão
Ano: 2013
Realização:  Louis Leterrier
Actores:  Jesse Eisenberg, Isla Fisher, Morgan Freeman, Woody Harrelson, Mark Ruffalo, Michael Caine, Dave Franco, Mélanie Laurent.

Trailer do filme:




0 comentários:

Enviar um comentário