sábado, 3 de abril de 2010

Ju-On 1 e 2 (2002 e 2003)

Achei por bem fazer uma análise aos filmes que inspiraram o The Grudge 3. Decidi fazer uma crítica conjunta, pois poupa mais trabalho, visto que vou versar os mesmos pontos, relativamente aos dois filmes.
Takashi Shimizu é sem dúvida um grande realizador. Ele não precisa de sangue e de gore para tornar os seus filmes verdadeiramente assustadores. Shimizu opta pela violência implícita, isto é, o que se chama "terror psicológico". Aliás, a intensidade psicológica é tanta que quase nem se aguenta. Em ambos os filmes, fá-lo de forma brilhante.
Shimizu tem um estilo bastante pelicular, visto que em ambos os filmes não se segue uma ordem cronológica, isto é, os factos são-nos apresentados quase como um "puzzle", o que é intrigante, mas desafiador, visto que vamos percebendo certas situações apenas momentos mais tarde, pois esses factos vão-se interligando. É um estilo completamente diferente do
americano. Mas a verdade tem de ser dita... Estes filmes fazem exactamente o que todos os filmes de terror deviam fazer: assustam e não é pouco! Este é um exemplo de que a simplicidade por vezes é bastante melhor.

Geralmente, os filmes de terror têm um argumento que deixa um pouco a desejar. Aqui sucede que, até é satisfatório, apesar da história ser bastante simples. Basicamente, falam sobre uma maldição, a qual diz que quando uma pessoa morre num momento de extremo ódio, uma maldição nase, tomando a forma das vítimas, assombrando e matando qualquer um que entre em contacto com ela. Nestes filmes seguimos os fantasmas vingativos de Kayako e Toshio Saeki.
Shimizu é tão brilhante na forma como cria a tensão e a atmosfera, que muito sinceramente, o argumento quase que nem importa. O enredo é, de facto bastante simples, mas a forma como está concretizado é espectacular, tornando a simplicidade do enredo num ponto insignificante.

Os actores que interpretam Kayako e Toshio são absolutamente espectaculares. Ele é 100% arrepiante, e ela então, é de fugir. No bom sentido! Fazem o seu trabalho fenomenalmente bem, é maravilh
oso.

Os filmes são suspense de príncipio ao fim. Para fãs de filmes de terror, estes são obrigatórios. Ok que se já viram o remake americano "The Grudge", Ju-on não vai ser nenhuma novidade, mas eu defendo que deve sempre se ver o original, porque na maior parte das vezes é sempre muitíssimo melhor. Ambos os filmes são imperdíveis.
Considero, no entanto, que Ju-on está um pouco mais assustador que Ju-on 2, apesar de no segundo os efeitos sonoros estarem ainda melhor conseguidos.

A carreira de Shimizu assenta praticamente ne
stes filmes. Visto que antes de Ju-on e Ju-on 2, fez duas versões para televisão (esta crítica são das versões dos filmes que saíram no cinema posteriormente). Depois, fez a versão americana "The Grudge" (remake de Ju-on) em 2004 com Sarah Michelle Gellar e "The Grudge 2" (segue uma história completamente distinta de Ju-on 2. Infelizmente, The Grudge 2 é um completo desastre. Mas isso agora já são outras conversas.).

Tenho fé que Shimizu tem talento para fazer outro tipo de filmes. Já provou ser incrivelmente bem sucedido neste género.
Concluindo, estes filmes são altamente recomendáveis, que não têm nada a ver, em termos de qualidade, com o desastre que foi The Grudge 2 e 3!

EXAME

Ju On

Realização: 9/10
Actores: 8/10
Argumento/Enredo: 7/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Banda Sonora/Efeitos sonoros: 6/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 8/10

Média Global: 7.5/10

Trailer do filme:



Ju-On 2

Realização: 9/10
Actores: 7.5/10
Argumento/Enredo: 6/10
Duração/Conteúdo: 7/10
Banda sonora/efeitos sonoros: 7/10
Transmissão da ideia principal do filme para o espectador: 7/10

Média global: 7.3/10

Trailer do filme:




Crítica feita por Sara Queiroz

0 comentários:

Enviar um comentário